Grupo chinês quer investir R$ 112 milhões para implantar fábrica de placas de energia solar no CE

O grupo chinês Chint Electrics Co., está estudando a possibilidade de instalar uma unidade no Ceará para a fabricação de placas fotovoltaicas para geração de energia solar. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (20) durante o Café com Energia, evento realizado na Casa da Indústria pelo Núcleo de Energia da FIEC e o Sindienergia.
Caso seja concretizada a iniciativa, esta será a primeira fábrica do grupo chinês a ser instalada na América Latina. Participaram do encontro na FIEC, o diretor geral do Grupo Chint para América Latina, Jackie Xiang; e a gerente comercial e de novos negócios da Divisão Fotovoltaica da Chist no Brasil, Cláudia Meireles Chaves. O Chint é um dos quatro maiores fabricantes de materiais elétricos do mundo, presente em 147 países.
Durante o Café com Energia, Cláudia Meireles informou que na quinta-feira representantes do Chint estiveram com o governador Camilo Santana, no Palácio da Abolição, para aprofundar as discussões iniciadas em setembro, quando o governador esteve na China. Naquela ocasião, Camilo Santana reuniu-se com os diretores da Chint em Hangzhou, onde apresentou a possibilidade da fábrica ser construída na Zona de Processamento de Exportação da zona industrial (ZPE).
“O Grupo Chint é uma das maiores empresas do mundo, não só na fabricação de sistemas de produção de energia, mas também em painéis solares. Ceará tem um grande potencial para a produção de energias renováveis, o que aumenta nosso otimismo para atrair investimentos nessa área. É uma fábrica deste tipo que querem instalar no Brasil “, disse Santana na ocasião.
A fábrica de módulos fotovoltaicos estima um investimento de R$ 112 milhões ($ 35,7 milhões) e a criação de 1.300 empregos diretos e indiretos. Com esta fábrica, a empresa chinesa cobriria o mercado brasileiro e outros mercados regionais.

Com informações da FIEC
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe