PF revela 33 ligações entre Gilmar Mendes e Aécio Neves após tucano ser investigado

Um relatório da Polícia Federal aponta que o senador Aécio Neves (PSDB) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), fizeram 33 ligações entre março e maio de 2017, período no qual o tucano passou a ser investigado pelo recebimento de propina da JBS, chegando a ser alvo de operação da PF, afastado por duas vezes do cargo e ter sua irmã Andrea Neves e seu primo Frederico Pacheco presos.
Gilmar Mendes é relator de quatro inquéritos que investigam Aécio. As ligações, feitas através do aplicativo Whatsapp, supostamente imune ao grampo da PF, foram descobertas pelos investigadores a partir da análise dos celulares apreendidos com o tucano durante a Operação Patmos, deflagrada no dia 18 de maio.
Aécio e Gilmar Mendes também já haviam sido gravados em ligação através de operadora telefônica comum, na qual o senador pede ajuda ao ministro para influenciar senadores em uma votação no Senado. O relatório foi incluído em um dos processos que investigam Aécio no STF, sob relatoria do ministro Edson Fachin.
Aécio foi gravado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, pedindo R$ 2 milhões em propina. O dinheiro foi repassado através de Frederico Pacheco, também gravado pela PF contando o dinheiro na sede da empresa.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe