Preso faz buraco em teto de viatura e foge em seguida

Um preso que era conduzido em uma viatura do sistema prisional fez um buraco no teto do veículo e conseguiu fugir. O caso aconteceu em Aripuanã, em Mato Grosso, a 976 km de Cuiabá. As informações são do G1 de Mato Grosso.
A Polícia Civil informou que os agentes levariam o preso da Cadeia Pública de Aripuanã para Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá. Os agentes fizeram um boletim de ocorrência depois da fuga e contaram que o preso conseguiu se soltar das algemas e sair do veículo após quebrar o teto.
Josimar Alves da Silva, de 38 anos, conforme informações do boletim de ocorrência, estava no camburão da viatura no momento em que conseguiu se soltar das algemas. Em seguida, ele quebrou o teto do carro e fugiu sem ser notado pelos três agentes que o transportavam.
Informações do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT) dizem que a estrutura da caçamba é feita de fibra. Os agentes também disseram que só notaram a fuga de Silva quando chegaram ao Distrito de Filadélfia, em Juína, a 737 km de Cuiabá.

Estrutura da caçamba é feita de fibra
O presidente do Sindspen, João Batista Pereira, afirma que o fugitivo é de alta periculosidade e responde por vários homicídios. Ele explica que o motivo da transferência foi pela estrutura da cadeia de Aripuanã, que não tem condição de mantê-lo.
Batista cogita a possibilidade de o fugitivo ter se aproveitado do barulho da estrada para bater com os pés no teto da caminhonete e furar a fibra. No momento que o carro passava por uma parte onde teria que reduzir a velocidade, ele acabou saltando.
O sindicato levará a caminhonete para Cuiabá, onde vai passar por perícia. A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh-MT) informou que abrirá um procedimento para investigar a fuga.
O fugitivo é acusado de assassinar o presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto do Oeste (RO), Edson Luiz Gasparotto, em agosto de 2007. Ele foi preso em Primavera do Leste (MT), no dia 19 de agosto de 2016, a 239 km de Cuiabá, usando um nome falso.
Não é a primeira vez que Silva foge. No ano passado, ele havia escapado da Penitenciária Agenor Martins de Carvalho, em Ji-Paraná, onde cumpria pena no ano passado pela morte de um empresário da região.

O Povo Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe