PSDB nega acordo com Temer para salvar Aécio

O PSDB divulgou nota, nesta quarta-feira (18), negando ter feito acordo com o presidente Michel Temer para derrubar o afastamento do senador Aécio Neves, imposto pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte ainda determinou o recolhimento domiciliar noturno do mineiro.
Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), o tucano pediu e recebeu R$ 2 milhões da JBS como propina. O órgão afirma também que Aécio atuou em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir o andamento da Lava Jato. Segundo a executiva da legenda, a posição da bancada deve-se "exclusivamente à nossa convicção de que todo e qualquer cidadão tem direito a ampla defesa".

Confira o texto na íntegra:
A posição da bancada do PSDB do Senado Federal, na votação sobre as medidas cautelares aplicadas pela Primeira Turma do STF contra o senador Aécio Neves, deve-se única e exclusivamente à nossa convicção de que todo e qualquer cidadão tem direito à ampla defesa e ao contraditório, princípios básicos do Estado Democrático de Direito.
Nossa decisão não implica de forma nenhuma em um juízo de valor sobre as atitudes do senador Aécio e muito menos pode ser entendida como parte de qualquer acordo relacionado à votação da denúncia contra o presidente da República na Câmara dos Deputados.
O PSDB reafirma seu compromisso contra a impunidade, defendendo a ampla investigação de toda e qualquer denúncia devidamente fundamentada contra quem quer que seja, inclusive membros do partido, assegurados todos os direitos e garantias processuais, corolários da igualdade de todos perante a lei.
Notícias ao Minuto
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe