Sérgio Machado escreve livro sobre sua história, mas não está feliz com o resultado

O ex-senador cearense e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, na vida pós-delação premiada, está escrevendo um livro para contar a sua história. Mas parece que não está gostando muito do resultado. Segundo a coluna de Lauro Jardim, ele já buscou a ajuda de pelo menos um jornalista para ver se consegue melhorar o conteúdo da publicação, mas ninguém aceitou o trabalho.
Sérgio Machado ficou conhecido por ser o grampeador-geral da República. Perdendo o cargo apenas com a chegada de Joesley Batista à profissão.
As gravações do ex-presidente da Transpetro derrubaram dois ministros do presidente Michel Temer: Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência). Nelas, políticos aparecem criticando a Lava Jato. Romero Jucá chega a citar um “grande acordo nacional” “com o Supremo [Tribunal Federal], com tudo” para tirar Dilma Rouseff da presidência, pôr Michel Temer no Planalto e “estancar a sangria”.
Em sua delação premiada, Machado confessou ter desviado pelo menos R$ 100 milhões da estatal para aliados políticos.

Em tempo
Sérgio é visto constantemente passeando pelos shoppings de Fortaleza com os netos. Ele vive uma vida tranquila em uma mansão de 1.200 metros quadrados, a poucos metros do mar.

Ceará News 7
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe