Mais de cem mil faltam no Ceará ao primeiro dia do Enem

Essencial para quem quer ingressar em universidades cearenses, o primeiro dia de Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ontem (5), contou com os tradicionais atrasados, locais de prova confundidos e esquecimentos. Entretanto, o número foi bem menor de pessoas chegando em cima do horário em relação ao ano passado. Ainda assim, segundo dados preliminares do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 100.811 candidatos no Ceará não prestaram o certame. O número representa 27,60% dos 365.255 inscritos na prova.
A distribuição de canetas, lanche e água mineral, bem como o apoio de desconhecidos a quem chegava, nervoso, para fazer as provas de redação, ciências humanas e linguagens e códigos, deram o tom do dia atípico na Capital cearense.
Este foi o cenário percebido na entrada da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Em um dos maiores locais de prova do Enem no Ceará, voluntários e representantes de instituições privadas distribuiam água, barras de cereal e até mesmo abraços. A Universidade de Fortaleza (Unifor) tinha um ponto de apoio no local para oferecer água mineral e lanche, assim como a Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc). A Pasta esteve, no primeiro dia de prova, em outros 159 locais de exame em todo o Estado, além dos terminais de ônibus da Capital.
Foram distribuídos 200 mil kits alimentação, com banana e maçã, 200 mil garrafas de água mineral e 200 mil canetas pretas. O titular da Pasta, Idilvan Alencar, destacou ainda o apoio no transporte dos alunos da rede pública, que receberam a passagem de ônibus, para quem fez a prova em Fortaleza, e transporte gratuito em ônibus fretado, para quem mora no Interior.
"Em Fortaleza, a gente disponibilizou um crédito adicional nas carteirinhas dos alunos da rede pública. Para quem não tem carteirinha, oferecemos como opção o Passe Enem. Tivemos ainda apoio nos terminais rodoviários urbanos, com pessoas auxiliando quem gastou a mais ontem ou quem perdeu a carteirinha", disse Alencar.
Neste ano, de acordo com Alencar, 99,51% dos alunos do terceiro ano do Ensino Médio da rede pública do Estado se inscreveram no Enem. Índice que foi o maior do País, cuja média fica em torno de 60%."Nós temos 102.300 alunos matriculados no terceiro ano. Destes, nós inscrevemos 101.800 alunos, 99,51% do total. No ano passado, foram 96% dos alunos do terceiro ano da rede pública inscritos. Em 2018, a gente chega aos 100% . Muitas escolas tiveram 100% de inscritos", relatou Alencar.
Um dos projetos dos quais os alunos da rede pública de ensino se beneficiaram para afinar os estudos para o Enem, a Academia Enem 2017 ofertou, neste ano, cerca de oito mil vagas para estudantes de Fortaleza. Um dos participantes do projeto, Paulo Robson de Almeida, esteve na Uece ontem, mas não para fazer a prova. Desempregado há poucos meses, ele foi até o local para vender brownies, atividade que tem sido a sua fonte de renda.
Ele planejava fazer a prova deste ano, mas com o ocorrido, teve que adiar o sonho e aproveitou para apurar com a movimentação em decorrência do exame. Apesar de não ter feito a prova, ele contou, feliz, que a esposa, Gerliane Fernandes, também inscrita, foi fazer a prova. "Ela ia comigo para as aulas, foi fazer a prova e eu vim vender brownie. Quando ela passar, no ano que vem, ela vem vender e eu vou fazer a prova", acrescenta Paulo.
Enquanto oferecia seus brownies aos que aguardavam a abertura dos portões debaixo do sol escaldante, com termômetros em 32%, Paulo e outras pessoas, entre quem acompanhava os inscritos, vendedores ambulantes e curiosos, observavam a intensa movimentação na Avenida Silas Munguba na manhã do domingo. Para auxiliar na organização do trânsito, três viaturas da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) faziam o controle do tráfego no local.
Nas avenidas Luciano Carneiro e Treze de Maio, o fluxo era intenso bem antes da abertura dos portões. Com dois locais de prova bem próximos um ao outro - Colégio Adauto Bezerra e Centro de Humanidades da Uece - , a região do bairro de Fátima tinha movimentação atípica para um domingo logo no início da manhã de ontem.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe