Mulher do ex-ministro Guido Mantega morre em São Paulo

A psicanalista Eliane Berger, mulher do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, titular da Pasta nos governos dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, morreu na madrugada de ontem (12) após luta de vários anos contra um câncer. Nos últimos dias, houve piora do quadro de saúde de Eliane, o que levou à falência múltipla dos órgãos.
Mantega e Eliane Berger eram casados há quase duas décadas e a doença foi detectada ainda quando o economista ocupava o cargo de ministro. Ela deixa um filho, Marco, de 17 anos. Desde que a mulher foi internada, há cerca de 40 dias, Mantega passava as noites no Hospital Albert Einstein.
Formada pela PUC de São Paulo, ela era especializada no atendimento a crianças e adolescentes. Eliane foi professora no Instituto Sedes Sapientiae, era ex-militante do movimento sionista paulistano e trabalhou na prefeitura de São Paulo, durante a gestão (então petista) de Luiza Erundina.
O velório foi realizado no Cemitério Israelita do Butantã, na zona oeste da capital paulista, e teve a presença de vários políticos, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi acompanhado do ex-ministro da Secretaria de Direitos Humanos Paulo Vannuchi. Lula esteve na manhã de ontem no velório. Permaneceu cerca de 40 minutos no velório e não conversou com jornalistas. Petistas dizem que o quadro de saúde da mulher de Mantega preocupava muito o ex-presidente.
O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), e os economistas Delfim Neto e Luiz Gonzaga Belluzzo também marcaram presença. “Ela era uma pessoa de alma refinada. Vim dar um abraço no meu amigo. Ela era uma pessoa muito delicada e vai fazer falta nesse mundo onde falta muita sutileza”, disse Belluzzo.

O Povo Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe