Publicidade

Sem almoço, criança desmaia de fome em sala de aula

Uma criança de 8 anos de idade desmaiou de fome durante a aula em uma escola no Distrito Federal nesta semana. O estudante mora no Paranoá Parque, onde não há colégio público próximo, e precisa percorrer 30 quilômetros todos os dias para ir à escola. As informações são do portal G1.
"A gente chamou o Samu. Quando o Samu chegou e fez o atendimento, e viu que era fome, até o rapaz praticamente chorou", conta a professora Ana Carolina Costa, que dava aula para o aluno que sofreu o desmaio.
Após recobrar os sentidos, a criança contou aos médicos do Samu qual tinha sido a última refeição: um prato de mingau de fubá, comido no dia anterior.
Com a longa distância, muitas crianças saem de casa por volta das 11h, e passam o horário do almoço dentro do transporte escolar.
Em nota, a Secretaria de Educação disse "lamentar" o ocorrido, e informou que não fornece almoço às crianças pois não há ensino integral na unidade. A Secretaria ainda informou que disponibiliza um lanche para os alunos no intervalo de cada turno. De acordo com funcionários da escola, a merenda, geralmente, é composta por suco e biscoito.
Segundo a equipe da Escola Classe 8, unidade em que a criança desmaiou, é comum os alunos reclamarem de fome. De acordo com Ana Carolina, parte dos alunos não tem o que comer em casa, e vão à escola contando com a merenda.
"Ficam dispersos, não prestam atenção. Eles falam: 'tia, tô com fome.' [...] A escola faz o que pode, chama a família, o Conselho Tutelar, não é omissão da escola", diz a professora.
O Sindicato dos Professores (Sinpro-DF) disse que já solicitou ao governo um reforço na merenda dos alunos da unidade. "Já pedimos diversas vezes para oferecer almoço e lanche para essas crianças. Como elas vêm de muito longe, não dá para ficar só com o lanche parcial", diz o diretor da entidade, Samuel Fernandes.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe