Publicidade

Instituto do Câncer do Ceará retoma atividades

Após a paralisação de diversos atendimentos devido à falta do repasse de verbas para a manutenção do hospital, o Instituto do Câncer do Ceará (ICC) retomou as atividades.
A decisão, segundo a unidade, foi resultado de um acordo firmado na última quinta-feira (30). Foi acertado que a Prefeitura de Fortaleza pagará a dívida de R$ 18 milhões. O pagamento será dividido em parcelas de R$ 750 mil a partir de janeiro do próximo ano e deverá ser concluído até o primeiro semestre de 2019. Agora, os procedimentos de iodoterapia, cirurgia de tumor ósseo, hematologia e cirurgia abdominal, antes suspensos, passam a acontecer normalmente. Durante a paralisação, a Defensoria Pública da União (DPU) chegou a receber cerca de 15 reclamações em cinco dias.
O valor da dívida, porém, ainda é questionado. De acordo com a secretária Municipal de Saúde, Joana Maciel, o débito atual equivale a aproximadamente R$ 14 milhões, e as parcelas vêm sendo pagas desde fevereiro deste ano, quando a dívida totalizava cerca de R$ 24 milhões. "Neste ano de 2017 nós pagamos toda a produção rigorosamente em dia. Não teve atraso de pagamento esse ano. Nós começamos a pagar essa dívida desde fevereiro deste ano. A dívida era de aproximadamente R$ 24 milhões, hoje é de cerca de R$ 14 milhões. Ela não acumulou mais", afirma a titular da pasta. "A produção do ICC vem sendo paga sem nenhum déficit. Além de não ter crescido, a dívida foi abatida em R$ 10 milhões. Nós estávamos pagando, e eles disseram que o parcelamento não era o suficiente", diz Joana Maciel. Até então, as parcelas pagas equivaliam a 500 mil reais.
Segundo Marcos Viveiros, advogado do Instituto, o valor exato da dívida do Município deverá ser decidido até o fim deste mês, através de encontros a serem realizados entre as partes.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe