MPC requer afastamento de parentes do secretário da Saúde do Ceará lotados na Pasta

Após exatos dois meses da 'Operação Medicar', deflagrada para investigar esquema criminoso de compra de medicamentos e materiais médico-escolares na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), o Ministério Público de Contas (MPC) iniciou uma nova fase, requerendo o afastamento de parentes do atual titular da Pasta, secretário Henrique Javi.
O MPC busca apurar a existência de parentesco entre servidores do "alto escalão" da Sesa e terceirizados e comissionados lotados na Secretaria. Conforme o Ministério Público de Contas, dois irmãos de Henrique Javi trabalham como terceirizados da Pasta exercendo, respectivamente, as funções de Auxiliar Administrativo e Assessor Técnico.
A segunda fase da 'Operação Medicar' é denominada como 'A Grande Família'. O Ministério ressalta que a prática fere os princípios da impessoalidade e moralidade administrativa, como consequência é configurado caso de nepotismo.
O Ministério recomenda o imediato afastamento dos terceirizados. O prazo indicado é de três dias úteis, sob pena de ajuizamento de Representação junto ao Tribunal de Contas do Estado. Em contato com a assessoria de comunicação da Pasta, a reportagem foi informada que o requerimento do MPC estava sendo apurado.

Diário do Nordeste
Cadernos:
[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget