Senador pede afastamento de Segovia da direção-geral da PF

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou nesta 4ª feira (14.fev.2018) na JF-DF (Justiça Federal do Distrito Federal) ação popular pedindo o afastamento cautelar de Fernando Segovia do cargo de diretor-geral da PF (Polícia Federal) até que inquérito contra o presidente Michel Temer seja concluído.
A ação (eis a íntegra) cita que o diretor-geral da PF se comportou como “advogado de defesa” de Michel Temer ao dizer que até o momento não há provas suficientes que comprovem irregularidades na edição do decreto dos Portos. O texto diz ainda que Segovia chegou a intimidar o delegado Cleyber Malta Lopes, encarregado do inquérito em questão.
“O sr. diretor-Geral inverte por completo o que dele institucionalmente se espera: blinda um investigado ilustre de suas responsabilidades e assedia um membro da instituição que tem por dever representar e zelar pelas funções”, diz o senador na ação.
O senador afirma também que Segovia pode “colocar em risco o avanço das investigações” que vão de encontro a Michel Temer. Para ele, o diretor-geral da PF pode atender as “pretensões pessoais” do presidente.
A ação pede que o diretor-geral da PF seja impedido de deflagrar qualquer procedimento administrativo em desfavor do delegado Cleyber Malta Lopes. O documento sugere que o delegado “informe diretamente ao Juízo qualquer prática que repute tentativa de ingerência sobre o inquérito dos portos, para que se se proceda ao imediato afastamento cautelar.”

Intimação de Segovia
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso, relator da investigação do decreto dos Portos, intimou no último sábado (10.fev.2018) Segovia a dar explicações sobre entrevista divulgada pela Reuters na última 6ª feira (9.fev.2018).
Segovia afirmou que a PF tende a pedir o arquivamento do inquérito de Michel Temer a respeito do Porto de Santos. “Tal conduta, se confirmada, é manifestamente imprópria e pode, em tese, caracterizar infração administrativa e até mesmo penal”, disse o ministro.

O inquérito
Temer é investigado por supostamente ter recebido propina para editar o Decreto dos Portos. A medida iria beneficiar a empresa Rodrimar que controla o Porto de Santos. São apurados os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Temer nega as acusações.

Poder 360
Cadernos:

Postar um comentário

A Voz de Santa Quitéria é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais, a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.
Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.
Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: avozdesantaquiteria@outlook.com.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo

[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget