Aliados do ex-presidente reagem com desânimo

O voto contrário da ministra Rosa Weber, do STF, ao pedido de habeas corpus para evitar a prisão do ex-presidente Lula foi recebido com desânimo pela militância petista. No Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, onde Lula estava durante o julgamento, o presidente da entidade, Wagner Santana, interrompeu a transmissão de TV após o voto de Rosa.
Falando em injustiça, disse que "os golpistas precisam entender que não vai ter arrego. Que esse julgamento é só a primeira etapa. Não vamos negar fogo de jeito nenhum". Manifestantes reagiram com algumas vaias e silêncio. Militantes tentaram sem sucesso puxar o grito "povo sem medo", mas não houve adesão. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, foi às redes sociais conclamar a militância a aguardar o resultado final. "Não desistimos. Por Lula e pelos milhões de brasileiros".

Choro
A assessoria do ex-presidente declarou que o petista não falaria. Lula estava em uma sala com a ex-presidente Dilma Rousseff e o governador do Acre, Tião Viana, quando Rosa Weber votou.
A sala não tinha TV. Durante o voto, ele saiu para cumprimentar pessoas. O presidente do PT paulistano, Paulo Fiorillo, afirmou que Rosa Weber fez um voto equivocado. "Ela diz que tem uma concepção pessoal. Mas vota contra", criticou.
Parte dos manifestantes, assim como dirigentes, deixaram o sindicato antes do final da sessão. Gleisi, que teve a presença no trio elétrico anunciada, não apareceu. O dirigente do MST (Movimento dos Sem Terra) Alexandre Conceição prometeu ocupar "todos os prédios públicos". Na plateia, muitos choravam. A poucos metros, ouvia-se o hino nacional e gritos de comemoração vindos de um ato anti-Lula.
Cadernos:
[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget