TCE aponta 249 casos de acúmulo de cargos na Sesa

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) tem 180 dias para regularizar a situação de 249 casos de acúmulo de cargos públicos. O prazo foi estabelecido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), após sessão plenária na última semana de março. Cabe à pasta, até setembro, abrir sindicâncias e processos administrativos contra servidores que exerçam mais de uma função pública irregularmente.
A determinação se refere a uma auditoria do TCE que, em 2016, identificou acúmulo de função de 614 servidores públicos da saúde no Ceará. Desses, 188, todos médicos, foram exonerados em outubro do ano passado de um ou mais cargos que exerciam irregularmente. Para outros 177 casos, ficou comprovado não haver falta de conformidade com a lei.
De acordo com o TCE, o fim de todos os pagamentos irregulares vai resultar em uma economia de R$ 8,96 milhões ao erário das três esferas. As exonerações já concretizadas significam uma economia de R$ 2,7 milhões ao orçamento anual da Sesa. 
Conselheira e relatora do processo no TCE, Soraia Victor afirma que a Sesa deverá ainda apresentar relatório completo constando confirmações de acúmulo ilegal e justificativas, dependendo do caso. Soraia aponta que existem servidores ocupando múltiplos cargos simultâneos, quando a permissão, conforme diz a Constituição Federal, é de até duas ocupações públicas com a obrigatoriedade de não haver choque de horários.
“Tem casos de pessoas ocupando três, quatro cargos simultâneos. Pessoas que trabalham no mesmo horário em Fortaleza e no Crato. São casos como esse que procuramos investigar. A expectativa é que esses 249 casos sejam resolvidos no devido prazo de seis meses”, afirma a conselheira do TCE.
Procurada pelo O POVO, a Sesa apresentou números diferentes aos divulgados pelo TCE. Segundo a pasta, todos os casos de acúmulo ilegal de cargos foram averiguados entre janeiro e março de 2017 e 80% (cerca de 490) “tiveram a situação analisada, comprovada e regularizada perante a administração pública”.
Quanto aos 20% restantes (cerca de 120), a secretaria afirma que foram abertos processos administrativos contra os servidores que não abriram mão de nenhuma das funções públicas que exercem. Segundo a Sesa, esses inquéritos estão em tramitação na Procuradoria Geral do Estado (PGE).
Além de determinar o prazo de seis meses, o TCE fez recomendações à Sesa. Entre elas estão que a secretaria aperfeiçoe os termos de declaração de não acumulação de cargos, assim como a realização de estudo para adoção de práticas mais racionais relacionadas à posse de novos servidores.

O POVO Online
Cadernos:

Postar um comentário

A Voz de Santa Quitéria é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais, a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.
Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.
Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: avozdesantaquiteria@outlook.com.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo

[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget