Humorista foi alvo errado de facção que já havia ameaçado e perseguiu o passageiro

O assassinato do humorista cearense Francisco Fonseca Neto,  60, o “Fonsequinha”, é mais um crime decorrente da guerra entre as facções criminosas que dominam o estado. O artista, que também ganhava a vida como motorista do aplicativo Uber, foi morto a tiros no final da tarde desta quarta-feira (2) no momento em que bandidos de uma facção atiravam no passageiro que era conduzido pelo humorista. Os dois morreram dentro do automóvel.
Robson Borges da Silva Filho, 24 anos, era integrante de uma facção criminosa que atua no Distrito de Pajuçara, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF),  e estava ameaçado de morte pelos inimigos da quadrilha rival. Por conta das ameaças, mudou-se para Fortaleza, indo morar no Planalto Ayrton Senna, onde o crime aconteceu.
Na tarde desta quarta-feira, Robson decidiu ir visitar a mãe, na Pajuçara, e pediu um carro do aplicativo Uber para ir até Maracanaú. No entanto, não desconfiava que estava sendo vigiado pelos inimigos. Após embarcar no veículo, o Pálio Weekend preto de placas NUR-9504, dirigido pelo humorista, Robson foi seguido e quando o carro chegou ao cruzamento das ruas Planaltina e Joaquim dos Anjos os criminosos emparelharam a motocicleta e começaram a disparar os tiros de pistola.

Morte no carro
Atingidos pelos tiros disparados à curta distância, os dois homens que ocupavam o carro tiveram morte imediata. Os criminosos fugiram rapidamente. Uma equipe do Samu ainda foi chamada ao local, mas logo os socorristas constataram os óbitos.
Patrulhas da Polícia Militar isolaram a cena do crime e a preservaram até a chegada das equipes da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Logo, as vítimas foram identificadas.
Robson Borges da Silva Filho já tinha histórico criminal. Respondia pelos crimes de homicídio, roubo e tráfico de drogas.
O humorista “Fonsequinha” ficou conhecido por participação em programas de variedades nas TVs Diário  e Jangadeiro. Também animava festas particulares e, ultimamente, complementava sua renda familiar como motorista do aplicativo Uber.
Os corpos das vítimas foram recolhidos pelo rabecão da Pefoce por volta de 19 horas, sendo encaminhados à Coordenadoria de Medicina Legal (Comel). A DHPP já iniciou as investigações, mas até agora, nenhum suspeito foi detido.

Fernando Ribeiro
Cadernos:

Postar um comentário

A Voz de Santa Quitéria é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais, a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.
Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.
Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: avozdesantaquiteria@outlook.com.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo

[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget