CPI vai investigar abuso de crianças no interior do Ceará

"Criança nasceu para ser amada e não para ser abusada". Foi com esta frase estampada na camiseta que vestia, que o presidente da CPI dos Maus-Tratos, o Senador Magno Malta, recebeu na tarde dessa última segunda-feira 09, na Assembléia Legislativa do Ceará, um dossiê com farta documentação denunciando a omissão do Estado do Ceará, em casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes, além de fraudes em notas de alunos de escolas da rede municipal de ensino. O estado é o 4º do Brasil com maior crescimento em notificações de estupros coletivos. 
Somente em 2017, 218 homens foram presos em flagrante por estupros, segundo a SSPDS. Em Itapajé, 17 estupradores foram colocados na cadeia somente neste ano. Segundo o Atlas da violência no Brasil, apenas 15% dos casos são denunciados.A documentação que contava também com sete DVDs, tem documentos e vídeos que revelam segundo o denunciante, fortes indícios que envolvem direta ou indiretamente, políticos influentes que acabam manipulando investigações, ou até mesmo influenciando na exoneração de delegados. O que pode ter acontecido em Itapajé recentemente com o delegado André Firmino, segundo revela documentos anexos no dossiê. O secretário André Costa e o delegado geral da Polícia Civil Everardo Lima, negam essa possibilidade e afirmam que o delegado pediu para sair.
Nos últimos dois anos, só em Itapajé, distante 115 quilômetros da capital cearense, 58 casos de estupros de crianças e adolescentes foram registrados pelo Conselho Tutelar. Os casos ganharam repercussão depois que uma criança de apenas seis anos, contou para sua mãe que vinha sendo estuprada dentro do banheiro da escola Patronato São José, administrada pela Diocese, que tem na direção o ex-prefeito, padre Marques. Além dos estupros, o delegado indiciou quatro envolvidos na Operação “A educação do Mal”, dentre eles, o secretário municipal de educação, diretor, coordenadora e uma professora de uma escola daquele município. Dia 19 de junho, André Firmino foi exonerado da delegacia de Itapajé sem concluir as investigações e sem motivo justo, a não ser o de ter se tornado uma ameaça para os políticos locais, segundo ele revelou.
Já em Sobral, segundo a Polícia Civil, cerca de 40 casos de abuso sexual são registrados mensalmente, mas não há agentes suficientes para investigar, nem suporte técnico suficiente para o sucesso das investigações. A omissão, a conivência e o medo de lideranças políticas locais, são também algumas das barreiras encontradas pelo Conselho Tutelar, para que as vítimas levem os casos adiante. Não é diferente do que acontece em Uruoca e em outras dezenas de municípios cearenses. 
Dentre os documentos entregues ao presidente da CPI, uma lista de mais de 15 nomes que serão convocados para prestar depoimentos. Em entrevista logo depois a entrega das denúncias, o Senador Magno Malta disse não ter compromisso com abusador de crianças, e sim com as crianças. “Patente pra mim, dinheiro no banco, nome, mandato, não vale porcaria nenhuma, criminoso é criminoso e se abusou de criança, se depender de mim vai pro pau”, alertou o presidente da CPI.

Wellington Macedo
Cadernos:
[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget