Dor de cabeça de Camilo é acomodar tantos partidos nas coligações

Com a aproximação do prazo para definição das coligações, o governador Camilo Santana (PT) tem a dor de cabeça que todo político sonha: como acomodar tantos partidos. As 24 siglas que compõem a base aliada, não aceitam a proposta de um “blocão” para a eleição proporcional de deputados estadual e federal.
Na Assembleia Legislativa (AL), a ideia é dividir os partidos em dois ou três blocos. O próprio PT, partido do governador Camilo, rejeita a proposta de blocão e já avisou: sairá sozinho. A motivação para a rejeição ao blocão, está no tamanho das siglas. Partidos menores como PR, DEM e PCdoB, temem ficar sem representantes ao se unirem com partidos grandes como o PDT que tem 12 deputados na AL.
O presidente da Assembleia, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), confirma que a maior preocupação no momento são as coligações. Zezinho não acredita na união de todas siglas numa só coligação. “Três blocos, eu acho que seria o razoável”, argumenta.

Madson Vagner
Cadernos:

Postar um comentário

A Voz de Santa Quitéria é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais, a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.
Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.
Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: avozdesantaquiteria@outlook.com.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo

[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget