PDT atua para isolar Eunício e cria impasse para aliança entre Camilo e senador

Dois movimentos simultâneos do PDT no Ceará isolaram ainda mais Eunício Oliveira (MDB) no Estado e ampliaram o distanciamento do senador de uma aliança formal na chapa governista, encabeçada pelo presidenciável Ciro Gomes (PDT) e o governador Camilo Santana (PT), que concorre à reeleição.
Em ato de pré-campanha na última quinta-feira, em Fortaleza, Ciro admitiu sua preferência pelo correligionário André Figueiredo na corrida ao Senado. “Se depender de mim, quero votar em André para senador”, disse o ex-ministro.
Em seguida, endereçou críticas diretas a Eunício, citando o presidente do Senado como um dos “picaretas” que moveram ações judiciais contra ele. Deputado federal e presidente do PDT estadual, Figueiredo disse em entrevista ao O POVO que pretende ocupar a segunda vaga na chapa – a primeira estaria destinada ao ex-governador Cid Gomes.
“Pelo tamanho do PDT no Ceará, é natural que o partido dispute as eleições com as duas vagas para reforçar a base do futuro presidente”, afirmou. “O governador nunca procurou o partido para discutir essa aliança (com Eunício) institucionalmente”, acrescentou.
De acordo com o parlamentar, porém, Cid ainda não garantiu que rumo vai tomar nestas eleições. “Ele ainda não definiu se quer ser ou não candidato. Se ele quiser, uma vaga é dele”, afirmou.
Os gestos do PDT criam impasse para Camilo, de quem Eunício tem se aproximado e com quem manteve intensa agenda de inaugurações de obras na Capital e Interior até a sexta-feira da semana passada.
Atual presidente do Senado, o cearense ainda tenta costurar acordo para disputar a reeleição numa das vagas do bloco, coligando-se formalmente ao PDT.
Em evento recente ao lado do governador, o emedebista reforçou que a dobradinha administrativa com o petista iria, “obviamente, partir para a eleição, com essa premissa de que todos juntos podemos fazer muito mais pelo Ceará”. O veto de Ciro e a pressão do diretório pedetista no Ceará, entretanto, frustram as pretensões de Eunício.
Líder do governo na Assembleia Legislativa (AL-CE), o deputado estadual Evandro Leitão (PDT) minimiza a saia-justa. “Não vejo de forma antipática (uma parceria com Eunício)”, avaliou o parlamentar. “No momento certo, essa aliança será construída, com o senador fazendo parte ou não dela.”
Para o também deputado Tin Gomes (PDT), há muita água por rolar nessas negociações. “O governador tem voz nessa coligação e vai colocar essa situação (hipótese de aliança com Eunício)” para o PDT.

O POVO Online
Cadernos:

Postar um comentário

A Voz de Santa Quitéria é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais, a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.
Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.
Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: avozdesantaquiteria@outlook.com.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo

[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget