Grupo é apreendido pela Polícia Federal por distribuir jornal contra deputado

Seis pessoas foram detidas pela Polícia Federal no Interior por distribuir material supostamente apócrifo contra um dos candidatos a deputado federal no Estado. O caso foi encaminhado ao Ministério Público Eleitoral (MPE).
O grupo estava no município de São Gonçalo do Amarante, na manhã deste domingo (23), distribuindo exemplares de um jornal intitulado "O Kallo". Eles são suspeitos de cometer crime eleitoral e foram levados para a sede da PF em Fortaleza.
O material é apontado como sendo do candidato a deputado estadual João Mota (PSL) e traz informações contra o deputado federal Danilo Forte (PSDB), candidato à reeleição, e também contra a candidatura do irmão de Danilo, Avelino Forte (PSDB), que disputa uma vaga na Assembleia.
Danilo Forte classificou como "ilação" as informações do jornal apreendido. "Eu fui homenageado pelo Ministério Público Federal e pelo Tribunal de Contas por ter conseguido diminuir desvios e afastado da Funasa os servidores envolvidos com problemas de corrupção. Tirei 37 ONGs por desvio de dinheiro na Funasa”, frisou.
Ao Diário do Nordeste, João Mota nega que o jornal, do qual é dono, seja apócrifo. “Está tudo dentro da legalidade", rebateu.

Diário do Nordeste
Cadernos:
[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget