Meu futuro político está nas mãos do senador Tasso Jereissati, diz General Theophilo

Com 8% das intenções de voto na última pesquisa Ibope para o Governo do Estado, o candidato do PSDB, General Theophilo, disse, ao votar na manhã deste domingo (7), que "a eleição se decide na urna" e que, por isso, acredita que pode chegar a eventual segundo turno. Caso não tenha êxito na empreitada, porém, ele ressaltou que deixa o futuro político "na mão do senador Tasso Jereissati".
"(Tasso) É o nosso grande líder político. Ele vai fazer uma avaliação, uma estratégia de como nós vamos conduzir, vamos reestruturar o partido, o que vamos fazer. Está nas mãos do senador Tasso Jereissati", respondeu, ao ser questionado sobre os planos pós-eleição, caso não chegue ao segundo turno.
Em entrevista ao Diário do Nordeste em setembro, o militar reformado criticou tucanos "infiéis", que apoiam a reeleição do governador Camilo Santana (PT),  e admitiu sair da política após a eleição, em caso de derrota, para seguir carreira como professor universitário. Ao votar neste domingo, ele voltou a defender que, em todo o País, as legendas precisam "incentivar mais a fidelidade partidária".
"Tem que acabar com o toma lá, dá cá, o balcão de negócios, no Brasil inteiro e no Ceará principalmente, porque nós temos uma oligarquia dominando o nosso Estado há mais de 12 anos. São 24 partidos atrás de repartir esse bolo que é pequeno. O Estado está inchado", criticou. General Theophilo sustentou que o governo "precisa de gestão e de autoridade".

Diferenças
Ao avaliar a primeira campanha como candidato, ele comparou o meio político com o Exército brasileiro. "O que falta mais é honestidade, firmeza de propósito, gestão da coisa pública, isso a gente sente muito, para quem veio do Exército, uma instituição que tem 80% de credibilidade da sociedade e chega num meio que tem quase só 5% de credibilidade", declarou.
General Theophilo votou às 11h05 no BNB Clube, na Aldeota. Ele chegou ao local acompanhado da esposa, Silvana Theophilo, e da candidata a vice-governadora, Emília Pessoa (PSDB). Ele optou por não usar prioridade como candidato e aguardou cerca de 20 minutos na fila até votar. Nesse intervalo, enquanto a imprensa tentava entrevistá-lo, um analista do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) pediu que os jornalistas suspendessem entrevistas na fila, pois, segundo ele, isso poderia configurar crime de boca de urna.

Diário do Nordeste
Cadernos:

Postar um comentário

A Voz de Santa Quitéria é uma ferramenta de informação que tem como características primordiais, a imparcialidade e o respeito a liberdade de expressão.
Contudo, em virtude da grande quantidade de comentários anônimos postados por pessoas que se utilizam do anonimato muitas vezes para ferir a honra e a dignidade de outras, a opção "Anônimo" foi desativada.
Agradecemos a compreensão de todos, disponibilizando desde já um endereço de email para quem tiver interesse em enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios: avozdesantaquiteria@outlook.com.

Cordialmente,
Departamento de jornalismo

[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget