PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



Após sobrevoo em Brumadinho, Bolsonaro diz que trabalhará para 'prevenir novas tragédias'

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (26) em uma rede social, após sobrevoar a região de Minas Gerais devastada pela lama com rejeitos de mineração e coordenar uma reunião do gabinete de crise, que o governo vai fazer o que estiver ao alcance dele para "prevenir novas tragédias" como as de Mariana e de Brumadinho.
Ele publicou a mensagem dentro do avião presidencial, na viagem de retorno para Brasília. Ele não falou com a imprensa em Minas Gerais.
Bolsonaro fez na manhã deste sábado um sobrevoo pela área atingida pela onda de lama da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele também comandou uma reunião com ministros e autoridades mineiras.
A barragem rompeu no início da tarde de sexta (25) e levou uma enxurrada de lama à região, desencadeando o transbordamento de outras duas barragens da mineradora Vale. Segundo os bombeiros, nove pessoas morreram e até 300 estão desaparecidas.
"Difícil ficar diante de todo esse cenário e não se emocionar. Faremos o que estiver ao nosso alcance para atender as vítimas, minimizar danos, apurar os fatos, cobrar justiça e prevenir novas tragédias como a de Mariana e Brumadinho, para o bem dos brasileiros e do meio ambiente", escreveu Bolsonaro em uma rede social após sobrevoar a área atingida pela lama com rejeitos de mineração, sem mencionar nenhuma ação que pretende implementar.
Após desembarcar em Brasília, Bolsonaro conversou rapidamente com a imprensa antes de entrar no Palácio da Alvorada. O presidente afirmou que o número de mortos poderá aumentar em Brumadinho.
“Daqui para frente o trabalho é basicamente busca de desaparecidos, infelizmente, pode aumentar muito o número de mortos”, disse Bolsonaro.
O presidente ainda informou que conversará por telefone com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que oferecerá ajuda ao Brasil com tecnologia para auxiliar nas buscas por desaparecidos.
Mais cedo, na reunião em Minas Gerais, Bolsonaro colocou o governo federal à disposição das autoridades mineiras, com a possibilidade de liberação de recursos e do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para famílias impactadas pela tragédia.

G1
Cadernos:
[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget