PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Cariri será a primeira região do interior a receber a Casa da Mulher

Cinco mulheres mortas nos últimos seis meses na Cariri. Todas elas assassinadas por seus ex-companheiros. Os altos índices de feminicídio e violência contra a mulher preocupam.
Apenas em 2016, houve mais de 2.299 notificações em Barbalha, Crato e Juazeiro do Norte - as três principais cidades. Por isso, o governador Camilo Santana anunciou que a região será a primeira a ser implantada a Casa da Mulher Cearense. O projeto, que já está em funcionamento desde julho de 2018, em Fortaleza, atua no atendimento humanizado e especializado para mulheres em situação de violência. A Casa da Mulher Cearense seguirá o modelo nacional. Hoje, o equipamento reúne serviços de Defensoria Pública, Delegacia da Mulher, Ministério Público, Juizado Especial e capacitação. Apenas sete estados contam com equipamento nesses moldes.

Iniciativas
O Cariri, a partir desta alta demanda, já conta com o Núcleo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher (Nudem), instalado na cidade do Crato.
Dados preliminares, divulgados no início deste ano, apontam que 30% das mulheres que buscaram o equipamento, entre junho e dezembro de 2018, vivenciaram violência doméstica por mais de 10 anos. Em alguns casos, quase 20 anos antes de conseguirem denunciar e buscar assistência jurídica, psicológica e social da Defensoria Pública. O levantamento realizado ouviu 66 vítimas.

Diário do Nordeste
Cadernos:
[disqus][facebook]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget