PUBLICIDADE



Índice de reprovação do Governo Bolsonaro sobe e é maior que aprovação, diz pesquisa

Passados 200 dias na Presidência, a desaprovação ao governo de Jair Bolsonaro passou de 37,4% em junho para 39,3% em julho. Já a aprovação chegou a 31%, antes era 30,4%. Segundo a última pesquisa divulgada ontem, 1º, da consultoria Atlas Político, pela primeira vez há empate técnico entre quem tem imagem negativa do presidente (46,8%) e positiva (46,2%).
Na mesma pesquisa, 62,8% dos entrevistados se opõem a que o deputado federal Eduardo Bolsonaro deixe seu mandato para assumir o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos, no qual para se tornar efetivo ainda depende da aprovação do Senado. Outros 29,1% se dizem favoráveis e 8,1% não souberam ou não responderam.
Além disso, registra uma oposição maior em relação ao tema do meio ambiente. 81,8% dos entrevistados são contra a exploração da madeira e dos recursos naturais (garimpos) nas reservas indígenas e ambientais da Amazônia. Apenas 12,9% consideram ser favoráveis e 5,3% não souberam ou não responderam.
A pesquisa do Atlas Político também questionou se os entrevistados tomaram conhecimento das revelações feitas pelo site The Intercept, sobre conversas privadas em aplicativo de celular entre o ministro Sérgio Moro, o procurador Deltan Dallagnol e membros da operação Lava Jato. 78,6% afirmaram que sim e 21,4% não souberam.
O ministro da Justiça continua sendo o líder político com a melhor imagem positiva, tendo 51,4%, mesmo que a imagem negativa tenha tido leve alta (40,8%). Existe um empate entre os que consideram que Moro cometeu abusos na condução do processo do ex-presidente Lula (44,4%) e os que não acham (43,8%). 11,8% dos entrevistados não souberam ou não responderam.
A maioria dos entrevistados avalia como incorreta (55,3%) a prática de um juiz aconselhar e manter conversas privadas com membros da acusação ou da defesa de um réu. 31,2% acham correta essa atitude e 13,5% não souberam ou não responderam. Já 51,7% são a favor da prisão do ex-presidente Lula, contra 37,4%.
Para 45,6%, os jornalistas responsáveis pela cobertura de conversas vazadas por hackers não devem sofrer nenhum tipo de punição judicial. Já 34,2% consideram que sim. Além disso, 47,8% dos entrevistados são contra a deportação do jornalista Glenn Greenwald, fundador do The Intercept e 27,9% são a favor.
O levantamento foi realizado entre os dias 28 e 29 em julho de 2019, sendo realizadas 2.000 entrevistas online. A margem de erro é 2 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%.

O POVO Online
Cadernos:
[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget