PUBLICIDADE



Cearenses gastam mais com habitação que com alimentação, aponta IBGE

Cearenses de todas as classes econômicas têm gastos mais elevados com habitação do que com alimentação, de acordo com pesquisa divulgada na manhã desta sexta-feira, 4, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O valor destinado à habitação corresponde a 36% do orçamento total das pessoas que recebem até R$ 1,9 mil. Para o mesmo grupo, os gastos caem para 27% em relação à alimentação - porcentagem um quarto menor. Os dados foram coletados com mais de 2,8 milhões de famílias entre janeiro de 2017 e o mesmo mês de 2018.

Alfredo Pessoa, professor de Economia da Universidade Federal do Ceará (UFC), aponta que esses números são reflexo da “paralisia” das políticas nacionais para habitação popular, como o Minha Casa Minha Vida. “Você tem pouca oferta de imóvel e os preços aumentam. Isso acontece tanto por conta da crise como pela entrada do novo governo”, pontua.

O especialista ainda considera que o fenômeno da urbanização em grandes cidades tem impactado no preço final das moradias. Ele explica que para ter um menor custo com habitação, as pessoas precisam viver cada vez mais longe do local onde trabalham, o que se torna inviável em alguns casos.

Além dos dois tipos de despesa, que se apresentam entre os dois maiores gastos para a maior parte das classes, os valores destinados ao transporte constituem uma parcela significativa no orçamento, tanto para as classes com menor quanto aquelas com maior poder aquisitivo. O valor médio gasto entre aqueles que ganham entre três e seis salários mínimos, por exemplo, é de R$ 400 para despesas como passagens de transporte público, aquisição de combustível e manutenção do veículo.

O POVO Online
Cadernos:
[blogger]

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget