Conjunto de arte rupestre na zona norte do Ceará ganha estrutura de visitação turística

Conjunto de arte rupestre na zona norte do Ceará ganha estrutura de visitação turística

Integrantes do maior conjunto de arte rupestre do Ceará, os sítios arqueológicos Bilheira I e Bilheira II, em Sobral, estão abertos à visitação turística. Os locais receberam investimentos de R$ 70 mil do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e serão entregues à população com estrutura de passarelas, abrigos e placas informativas.

A nova estrutura de visitação implantada nos sítios de arte rupestre consiste em uma trilha de 1,5 quilômetro dotada de abrigos e placas de sinalização com informações sobre os painéis de pinturas rupestres. A visitação é gratuita e aberta ao público, mas poderá ser feita apenas com o acompanhamento de um guia especializado.

Com o novo equipamento de visitação, os sítios serão integrados ao circuito das trilhas do Refúgio da Vida Silvestre (Revis) da Pedra da Andorinha, localizado a sete quilômetros do Complexo Bilheira. A área abriga um dos principais cartões-postais da região, a Pedra das Andorinhas, que também possui sítios de arte rupestre em seu perímetro.

O Bilheira I e o Bilheira II fazem parte do complexo Bilheira, que comporta 12 sítios arqueológicos com painéis que se distribuem na paisagem ao longo do riacho Bilheira. Os sítios têm como característica pinturas na cor vermelha, elaboradas, preferencialmente, com a ponta dos dedos.

Tribuna do Ceará