Cearense começou o ano menos endividado, diz pesquisa

Cearense começou o ano menos endividado, diz pesquisa

Ismia Kariny, do O POVO

O número de consumidores cearenses que possuem algum tipo de dívida é de 61,4%, revela a Pesquisa do Endividamento do Consumidor de Fortaleza, realizada em janeiro de 2020. Segundo o levantamento, realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará, a proporção de consumidores com contas ou dívidas em atraso caiu e obteve o melhor resultado em um período de 12 meses, com uma redução de 1,9 pontos percentuais.

A pesquisa revela ainda que o valor médio das dívidas está estimado em R$ 1.487, com prazo médio de oito meses, comprometendo 36,0% da renda familiar dos consumidores com o seu pagamento. De acordo com a Fecomércio, esse é um patamar considerado elevado para os padrões históricos do endividamento do cearense.

Os problemas financeiros afetam mais as mulheres. Desse grupo, 19,5% dos entrevistados afirmaram possuir contas em atraso. Também são afetados os consumidores do estrato com idade entre 25 e 34 anos (19,1%) e da classe com renda familiar mensal abaixo de cinco salários mínimos (19,5%).

A principal justificativa para o não pagamento das dívidas é o desequilíbrio financeiro, que representa a diferença entre a renda e os gastos correntes, sendo citado por 53,3% dos consumidores. O segundo motivo mais citado é o adiamento por conta do uso dos recursos em outras finalidades, com 38,6%, seguido da contestação da dívida (6,8%).