Menina Benigna se tornará a primeira beata do Ceará, a partir de outubro

Menina Benigna se tornará a primeira beata do Ceará, a partir de outubro

Antonio Rodrigues, do Diário do Nordeste

Aclamada "Heroína da Castidade" em Santana do Cariri, Benigna Cardoso da Silva se tornará a primeira beata do Estado, no próximo dia 21 de outubro, data em que foi batizada. Apesar de ter sido morta em 1941, seu processo foi iniciado apenas em 2011, porém, em pouco mais de oito anos, já obteve sucesso e conquistou o último passo antes de uma possível canonização. Por outro lado, há ainda cinco cearenses, alguns com causas mais antigas, que continuam aguardando a beatificação - quatro já estão em análise e um depende da aprovação do Vaticano.

"O modo do processo já indica rapidez e a demora", explica o advogado José Luís Lira, especialista em Direito Canônico. No caso de Benigna, a análise foi mais rápida porque sua morte foi considerada um martírio, que dispensa o reconhecimento de um milagre. "Reconhece as virtudes heroicas e se constatar que foi em defesa da fé, vai para a Causa dos Santos", completa Luís.

Natural de Santana do Cariri, Benigna foi morta a golpes de faca, aos 13 anos, depois de resistir a uma tentativa de estupro por um adolescente que a assediava. Os devotos acreditam que ela "deu a vida para não cometer pecado". Foi com esta tese que a Diocese de Crato abriu o processo em 2011 e, dois anos depois, já recebeu o 'Nihil obstat' (nada obsta), documento emitido pelo Vaticano permitindo a abertura da causa de beatificação.