Bolsonaro pediu para não ver erros do Enem por estar de “cabeça quente”

Bolsonaro pediu para não ver erros do Enem por estar de “cabeça quente”

O presidente Jair Bolsonaro declarou na segunda-feira 3 que pediu para não ver os erros do Enem, por estar “de cabeça cheia”. “Ele [o ministro da educação Abraham Weintraub] queria apresentar pra mim os dados. Eu não quis (estava), com a cabeça cheia. Hoje eu saturei. Não conversei”, declarou.

Em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente ainda minimizou os erros do Enem 2019. “Quase todos os anos tem problema. Representa menos de xero vírgula alguma coisa, o problema”, disse. Em outra situação, sem demonstrar qualquer evidência, Bolsonaro cogitou a possibilidade de sabotagem.

O tipo de problema registrado no Enem 2019 foi inédito na história do exame. Em nenhuma outra edição houve a divulgação de notas erradas da prova objetiva, corrigidas de forma digitalizada. A edição também teve o maior número de afetados diretos desde 2010. As falhas na correção da prova afetaram 4.974 estudantes, segundo o Inep.

A crise acerca do Enem tem gerado uma pressão sobre o ministro Abraham Weintraub. Com a volta das atividades no Congresso, parlamentares planejam uma ofensiva contra o ministro da educação para que ele explique os erros e também dê justificativas sobre as providências adotadas pelo ministério.