Professores das Escolas Profissionais do Ceará reivindicam melhores condições de trabalho

Professores das Escolas Profissionais do Ceará reivindicam melhores condições de trabalho

Professores da rede estadual de Educação Profissional do Ceará reclamaram em carta aberta, divulgada nesta quarta-feira (12), da desvalorização profissional, das precárias condições de trabalho e da falta de oportunidade de participação nos espaços de gestão das escolas profissionais.

Na carta, os professores expõem que não há material didático para o desenvolvimento adequado do ensino profissional, bem como os investimentos em maquinários e equipamentos para os laboratórios que têm cada vez mais diminuído e as horas de planejamento de aulas bem limitadas, considerando a extensa quantidade de disciplina por docente.

O professores também reclamam da remuneração, pedindo algo fixo por parte do Estado. Atualmente, são contratados em regime celetista pela Seduc, através do Instituto Centec e o formato de pagamento é por hora, ou seja, conforme muda as disciplinas ministradas no semestre, muda a remuneração, tornando-a extremamente variável e sem critérios claros de padronização de carga horária.