Idosa com coronavírus aguarda transferência após Sesa afirmar que ela estava morta, denuncia família

Idosa com coronavírus aguarda transferência após Sesa afirmar que ela estava morta, denuncia família

Um caso suspeito de Covid-19 está gerando problemas entre uma família e a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa). A paciente, uma idosa de 87 anos, aguarda transferência para o hospital Leonardo da Vinci, mas vem enfrentando dificuldades.

A idosa deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Messejana no domingo, 22 de março, com quadro de febre alta e insuficiência respiratória grave. Foi realizada na terça-feira, 24, a coleta de amostras para exame de coronavírus, cujos resultados ainda não saíram, e foi solicitada a transferência para o Hospital Leonardo da Vinci, que está recebendo os casos de internação por covid-19 na Capital.

Sem retorno por parte da Sesa, a família entrou com ação junto à Defensoria Pública do Estado, que conseguiu tutela de urgência para que a paciente fosse transferida. Ao ser intimada, porém, a Secretaria respondeu que a idosa teria morrido na quinta-feira, 26. No documento de resposta da Sesa consta um número de processo diferente daquele aberto pela Defensoria.

A Justiça já foi informada que a idosa continua viva, com laudo datado deste sábado, 28, constando que ela permanece na UPA. Outros entraves apareceram, porém: mesmo com a ordem judicial, o Hospital Leonardo da Vinci só recebe a internação caso seja realizada a tomografia do tórax, exame que detecta de maneira mais precisa os efeitos da Covid-19 no pulmão. O procedimento só é realizado no Hospital São José (HSJ) e a alegação é de que não há UTI móvel para fazer o deslocamento da paciente.

O POVO Online