'Brasileiro não sabe se escuta o ministro ou o presidente', diz Mandetta

'Brasileiro não sabe se escuta o ministro ou o presidente', diz Mandetta

Em entrevista exibida neste domingo, 12, pelo Fantástico, da TV Globo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pediu para que as pessoas mantenham o isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus e, em recado ao presidente Jair Bolsonaro, cobrou uma "fala única" sobre o problema para não confundir a população.

"Eu espero que essa validação dos diferentes modelos de enfrentamento dessa situação possa ser comum e que a gente possa ter uma fala única. Isso leva para o brasileiro uma dubiedade. Ele não sabe se escuta o ministro da Saúde, o presidente", disse Mandetta.

"Isso preocupa, porque a população olha e fala assim 'Será que o ministro da Saúde é contra o presidente'? Quem a gente tem de ter foco, esse aqui que é o nosso problema é o coronavírus. Ele é o principal inimigo. Se eu estou ministro da Saúde, por obra de nomeação do presidente. O presidente olha pro lado da economia. O Ministério da Saúde entende a economia, mas chama pelo lado de proteção à vida", afirmou.

Na entrevista, Mandetta voltou a dizer que o período mais preocupante da crise da Covid-19 ainda não chegou. "No mês de maio, junho, teremos os dias muito duros. Dias em que seremos tachados. 'Ah, vocês não fizeram o que tinham de fazer, deviam ser mais duros, menos duros, porque a economia está assim'. Sempre vai haver os engenheiros de obra pronta. Serão dois, três meses de muitos questionamentos das práticas."

Ele também criticou o comportamento de pessoas que têm furado o isolamento social. "Quando você vê as pessoas entrando em padaria, supermercado, fazendo fila, piquenique isso é claramente uma coisa equivocada", avaliou o ministro. "Tem muita gente que gosta da internet. Que vê que é fake news dizendo que é invenção de países para ganhar vantagem econômica ou vê complô mundial."

Estadão Conteúdo