Dólar vai a R$ 5,41, maior valor nominal da história; Ibovespa sobe 2,17%

Dólar vai a R$ 5,41, maior valor nominal da história; Ibovespa sobe 2,17%

O dólar fechou na máxima nominal histórica nesta quarta-feira (22), aos R$ 5,409. A alta no dia foi de 1,89%, impulsionada pela expectativa do mercado de queda da taxa básica de juros, a Selic.

O movimento de alta do dólar também tem a ver com a tensão entre Estados Unidos e Irã. O presidente norte-americano, Donald Trump, tweetou que os EUA vão bombardear navios que ameaçam o país.

O que mais impactou na cotação do dólar foi a mudança no discurso do Banco Central. A autoridade monetária abriu portas para um novo corte da taxa básica Selic – atualmente em 3,75% ao ano, a mínima histórica.

Durante a tarde, os mercados indicavam haver 70% de probabilidade de redução dos juros em 0,7 ponto percentual. A próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) será nos dias 5 e 6 de maio.

Em entrevista ao Poder em Foco, uma parceria do SBT com o jornal digital Poder360, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que o cenário econômico deteriorou desde a última reunião. A piora está relacionada aos efeitos da crise de covid-19 no fluxo de comércio, serviço e pessoas.

Apesar da sinalização de novo corte na Selic, ele disse que o Copom precisa ponderar o adiamento de reformas econômicas e o efeito da crise de covid-19 nas contas públicas. O desequilíbrio fiscal pode elevar as perspectivas para a inflação e forçar a alta dos juros no futuro.

O Banco Central entrou com leilão extraordinário de swap cambial durante a tarde. Ofertou 10.000 contratos, mas só 6.600 foram vendidos, o equivalente a US$ 330 milhões. A atuação no mercado, porém, não surtiu muito efeito sobre as cotações.

IBOVESPA
O Ibovespa, principal índice da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo) terminou o dia em alta de 2,17%, a 80.687 pontos. A última vez em que o pregão terminou acima de 80.000 pontos foi em 13 de março de 2020, quando o mercado ainda antecipava os primeiros efeitos da covid-19 no Brasil.

A alta foi puxada pelo setor varejista. Os investidores viram com otimismo o anúncio do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em flexibilizar as medidas de isolamento social no Estado.

Poder 360