Mais de 60 estudantes que viviam na Bolívia chegam ao Ceará após serem repatriados

Mais de 60 estudantes que viviam na Bolívia chegam ao Ceará após serem repatriados

Após enfrentar dificuldades para retornar ao Brasil, uma caravana formada por 65 estudantes cearenses, sendo a maioria alunos do curso de medicina da cidade de Cochabamba, na Bolívia, chegaram a Fortaleza por volta do meio-dia deste domingo (19). 

Ao todo, foram quase quatro dias de viagem de ônibus até o desembarque no Estado, que aconteceu em um ponto próximo à sede da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Ceará (OAB-CE), no Bairro Edson Queiroz. 

Devido à pandemia do novo coronavírus, as autoridades bolivianas adotaram medidas rigorosas na implementação de uma quarentena - iniciada em 10 de abril - no país, dificultando o dia a dia dos estudantes, inclusive o retorno deles ao Brasil. Eles, por exemplo, só podiam sair de casa uma vez por semana para comprar comida e durante um período máximo de quatro horas. 

Sem ter como se manter trabalhando, os estudantes dependiam de uma ajuda financeira maior por parte dos familiares. "Na Bolívia, estavam bem rigorosos com a quarentena, nós não estávamos podendo sair, fazer compras, com tempo limitado, a polícia estava fechando o cerco. Viemos com muita luta, mas Deus nos deu essa vitória de chegar aqui em paz e com saúde. Todos estamos bem, mas foi uma viagem dura, árdua", afirma o estudante de medicina Antônio Vitor Portela.

Os estudantes saíram da Bolívia - Santa Cruz de La Sierra - em um ônibus ainda na quarta-feira (15), por volta das 23h, e atravessaram a fronteira de Puerto Quijarro com Corumbá, no Mato Grosso do Sul, até seguirem em direção ao Ceará, onde chegaram cerca de três dias e meio depois.

Diário do Nordeste