385 mil cearenses pararam de buscar emprego

385 mil cearenses pararam de buscar emprego

A taxa de desalentados no Estado do Ceará cresceu no primeiro trimestre de 2020. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada ontem (15) pelo IBGE, esse percentual passou de 7,9% nos últimos três meses de 2019 para 8,6% nos primeiros três meses deste ano. O percentual corresponde a 385 mil pessoas com 14 anos ou mais.

De acordo com o IBGE, os desalentados são pessoas que gostariam de trabalhar e estariam disponíveis, porém não procuraram emprego justamente por acharem que não encontrariam. Ainda de acordo com o Instituto, isso acontece, entre outros motivos, porque a pessoa não encontrou trabalho na cidade em que mora, não conseguiu um emprego adequado ou não conseguiu por ser considerado muito jovem ou muito velho. Além disso, outra razão é a falta de experiência profissional ou qualificação.

O desemprego no Ceará cresceu no primeiro trimestre deste ano. A taxa chegou a 12,1%, o que representa, em números absolutos, 496 mil pessoas. No Brasil, a desocupação ficou em 12,2% no período.