Apoiadores de Bolsonaro ganham dois cercadinhos e hostilizam jornalistas no Alvorada

Apoiadores de Bolsonaro ganham dois cercadinhos e hostilizam jornalistas no Alvorada

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro hostilizaram jornalistas nesta segunda-feira (25) em frente ao Palácio da Alvorada.

Desta vez, os apoiadores tiveram o dobro do espaço que habitualmente é destinado a eles na saída da residência oficial da Presidência. Ficaram em dois “cercadinhos” – um ao lado da imprensa e outro à frente.

O GSI (Gabinete de Segurança Institucional) costuma permitir a entrada de aproximadamente 30 pessoas. Havia cerca de 60 na manhã desta segunda. Os apoiadores se dividiram em dois grupos.

Bolsonaro não conversou com a imprensa. Ele disse que só voltaria a falar com os jornalistas quando tivessem “compromisso com a verdade”. “O dia que vocês tiverem compromisso com a verdade eu falo com vocês de novo, está ok”, disse.

Depois que o presidente foi embora, o grupo de apoiadores que estava do outro lado da rua andou livremente até a frente da área destinada à imprensa. De lá, hostilizaram os profissionais, junto com o grupo que já estava posicionado ao lado dos repórteres.

Os apoiadores fizeram gestos obscenos aos jornalistas e os chamaram, por exemplo, de “safados”, “comunistas” e “comprados”. Como mostra o vídeo da Folha de S. Paulo.


Os seguranças do GSI, que é comandado pelo ministro e general Augusto Heleno, levaram cerca de 5 minutos para pedir aos apoiadores que se retirassem do local. Os repórteres foram embora do Alvorada juntos, para evitar agressões. Deixaram o local sendo xingados.

Um apoiador gritava que sentiria vergonha se tivesse parentes como os profissionais que trabalham na cobertura da Presidência.

Um grupo minoritário de apoiadores do presidente (composto por 6 pessoas), que estavam no estacionamento do Alvorada, mostrou solidariedade aos repórteres. Disseram que não concordavam com as atitudes do outros.

Poder 360/Folha