Ceará e Fortaleza projetam perdas 30% no orçamento anual

Ceará e Fortaleza projetam perdas 30% no orçamento anual

A pandemia da Covid-19 tem gerado severos impactos econômicos na sociedade. Nos clubes de futebol, não tem sido diferente. Equipes projetam os prejuízos causados pela crise e buscam formas de diminuí-los. Embora no momento seja difícil dimensionar déficit, Ceará e Fortaleza, principais clubes do Estado, projetam queda de cerca de 30% no orçamento anual em 2020, o que daria em torno de perda total para os dois clubes de algo em torno de R$ 60 milhões.

Os próprios presidentes falaram sobre isso ontem, em entrevista exclusiva concedida no projeto "Conexão SVM em Casa", do Sistema Verdes Mares. Robinson de Castro, presidente do Ceará, e Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, estiveram no encontro online mediado pelo Diário do Nordeste e projetaram possíveis quedas nas receitas.

"Eu fiz um estudo inicial de R$ 3 milhões por mês nos meses da pandemia, acho que isso já vai aumentar. E tem um fator que tem peso nesse orçamento que é bilheteria. Se você imaginar semifinal de Campeonato Cearense, possíveis duas finais, quartas de final da Copa do Nordeste, possível semifinal e final, se bota aí os jogos que teriam a bilheteria, com bares, estacionamento, camarotes, ativações comerciais...Por baixo, de 25% a 30% da receita não vai acontecer pra esse ano", estimou Marcelo Paz.

No caso do Fortaleza, o orçamento projetado para a temporada foi de R$ 109 milhões. Com isso, pode-se imaginar queda de arrecadação de cerca de R$ 33 milhões.

A situação não é diferente no caso do Ceará, que na projeção orçamentária para este ano, estimou um total de R$ 100 milhões em receitas, que deve cair para cerca de R$ 70 milhões.

Diário do Nordeste