Médica cearense rifa vestido de noiva para ajudar projeto que distribui doações em Fortaleza durante pandemia

Médica cearense rifa vestido de noiva para ajudar projeto que distribui doações em Fortaleza durante pandemia

Pensando em formas de ajudar diante da crise instalada com a pandemia do novo coronavírus, a obstetra cearense Ana Carolina Gondim, 34, lançou, através das redes sociais uma rifa virtual do seu vestido de noiva. O dinheiro arrecadado com a ação, iniciada no último dia 1º, será 100% doado para o projeto social Auê, que oferece alimentos e material de higiene para famílias em situação de vulnerabilidade em Fortaleza.

O ponto, no valor de R$ 30, pode ser comprado através do cartão de crédito ou boleto bancário. O sorteio da rifa ocorrerá no próximo sábado, dia 16.

A médica conta que a ideia de ajudar surgiu durante o dia a dia no trabalho, na Maternidade Escola Assis Chateaubriand. Ela observou cada vez mais gestantes sendo infectadas pelo vírus. “Como atendo na saúde pública, a gente sabe que têm muitas famílias que não conseguem cumprir o isolamento porque não têm reserva de dinheiro para ficarem sem trabalhar por alguns dias”, considera.

“Isso me causou um incômodo e eu fiquei me perguntando como eu poderia ajudar mais. Foi quando conheci o projeto da minha amiga, o projeto Auê. Na hora, lembrei do meu vestido de casamento, que usei apenas uma vez, em 2016, e está novinho. Então, decidi por rifá-lo”, relata a obstetra.

A partir da decisão de rifar o vestido, pensada junto com a amiga responsável pelo projeto social, Ana criou o tema “Vestida de amor e solidariedade” para ilustrar a campanha virtual. “Criamos, então, a rifa online. Vimos o melhor valor que a gente acredita ser acessível para as pessoas”.

Conforme Ana, a ideia também é apoiar noivas que estejam no meio do processo de organização do matrimônio durante esta pandemia. “Organizar casamento requer muitos gastos e, com a crise que estamos passando, a situação é mais difícil ainda. É uma união do útil ao agradável”, diz.

Apesar da especificidade do item rifado, o foco da campanha é a doação ao projeto. “Mesmo as pessoas que não são noivas, aquelas solteiras ou já casadas, podem ajudar pois o foco é a solidariedade”, ressalta a médica.

Para Ana, “se cada um faz um pouquinho, todo mundo sai ganhando. Então, nem todo mundo pode colocar a mão na massa no combate à doença, mas todo mundo pode ajudar, de alguma maneira, de casa. E essa rifa é uma das maneiras de ajudar”.