Viaturas alugadas para a PM são recolhidas por locadoras deixando parte da tropa a pé

Viaturas alugadas para a PM são recolhidas por locadoras deixando parte da tropa a pé

Depois das cenas de dezenas de viaturas paradas nos pátios dos quartéis por falta de combustível, a Polícia Militar do Ceará teve que devolver às locadoras, dezenas de veículos que eram utilizados como patrulhas do Policiamento Ostensivo Geral (POG) em Fortaleza e Região Metropolitana (RMF). O motivo da devolução dos carros não foi oficialmente revelado. Parte da tropa ficou a pé. Diante disso, o governo decidiu comprar novos veículos para recompor a frota da corporação.

Por conta do recolhimento das viaturas alugadas, fato que causou mais redução no policiamento nas ruas na Grande Fortaleza e também em algumas cidades do Interior, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social publicou nesta quinta-feira (28), documento abrindo o pregão eletrônico de número 20200008/SSPDS para a compra de novos veículos.  A licitação, na modalidade pregão, para registro de preço, será na forma eletrônica. Nesta sexta-feira (29) estará aberto o prazo para o acolhimento de propostas.

O governo deve adquirir nesta licitação o total de 1.328  “veículos operacionais para o atendimento das necessidades do Sistema de Segurança Pública do Estado do Ceará”. No próximo dia 10 de junho acontecerão, simultaneamente, a abertura das propostas e o início da sessão de disputa de preços.  

Além da PM, deverão também receber novas viaturas o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a própria SSPDS, Polícia Civil, Perícia Forense do Ceará(Pefoce) e a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD).

Alugadas
Em junho de 2018, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) anunciou  que iria adotar o sistema de alugar e não mais comprar viaturas. Um lote de 466 viaturas, sendo 200 Jeeps modelo  Renegade e mais 266 Duster (Renault) seria incorporado à frota oficial. O secretário da Segurança, André Costa, afirmou na Imprensa que os veículos integrariam uma nova experiência adotada pelo Governo do Estado na locação de viaturas, que iria garantir  que não faltariam veículos nas ruas em casos de problemas mecânicos.

 “Além da redução nos custos de manutenção que vínhamos tendo com nossa frota, o contrato prevê que a viatura seja substituída em até 24 horas pela empresa licitada, em caso de colisão ou outras adversidades”, ressaltou Costa em uma solenidade.

No começo desta semana, policiais militares de diversas unidades da PM denunciaram nas redes sociais terem sido surpreendidos com a retirada repentina dos veículos, que foram recolhidos pelas locadoras, o que deixou boa parte da tropa da Corporação literalmente à pé.

Fernando Ribeiro