Banco do Nordeste manterá foco nos mais vulneráveis, diz presidente interino

Banco do Nordeste manterá foco nos mais vulneráveis, diz presidente interino

Pouco mais de 24 horas depois que Alexandre Cabral assumiu a presidência do Banco do Nordeste - e, em seguida, foi destituído - Antônio Jorge Pontes Guimarães, diretor financeiro de crédito do banco, assumiu ontem a presidência interinamente e disse que vai priorizar, neste momento de crise, os mais vulneráveis, como micros e pequenos produtores nordestinos, e atender às necessidades das classes produtivas da Região. O setor produtivo cearense acredita que o episódio não deve comprometer a credibilidade da instituição e nem os projetos futuros do banco.

"Compreendemos a nossa importância no apoio ao microcrédito e, neste momento, alcançarmos o público com crédito e renegociação de dívidas. Nossa missão é estarmos próximos desse público, suportando esses agentes produtivos com novos créditos e renegociação. A nossa orientação é neste momento estarmos ainda mais próximos daqueles que entendemos serem os mais vulneráveis", disse Antonio Jorge.

Segundo ele, o BNB não vai "fugir da missão" e manterá a solidez de anos de existência. "O banco já passou por diversas situações e sempre mostrou sua capacidade de resiliência. O banco tem sua governança, seus propósitos e valores. Ficamos feliz que a sociedade tenha o entendimento da nossa solidez, da nossa resiliência, da capacidade de trabalharmos em prol da sociedade nordestina e que nós não vamos fugir disso", pontuou o presidente interino.

Jorge ainda reforçou o comprometimento do banco com o desenvolvimento econômico da região. "O BNB tem suas linhas de atuação e vamos seguir rigorosamente esse direcionamento de atender à classe produtiva nordestina nas suas necessidades".

Diário do Nordeste