Covid-19: 'Se tudo continuar como está, Fortaleza deve progredir na flexibilização', diz Dr. Cabeto

Covid-19: 'Se tudo continuar como está, Fortaleza deve progredir na flexibilização', diz Dr. Cabeto

O Ceará registrou, nos últimos 14 dias, uma "redução sistemática" nas taxas de óbitos e casos confirmados de Covid-19, bem como na ocupação de leitos de UTI e de enfermaria. Isso permitirá a Fortaleza, caso as quedas destas taxas se mantenham, "progredir na flexibilização" do isolamento social. A perspectiva é do secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, em entrevista à TV Verdes Mares na manhã desta terça-feira (16). A Capital está na Fase 1 do plano de retomada, após uma semana de fase de transição.

"A gente consegue falar que há uma redução sistemática nos últimos 14 dias de todas as taxas. Não só taxas de óbito, como de novos casos, de ocupação de leitos de UTI e enfermaria, os quatro critérios fundamentais pra que a gente faça a flexibilização", afirmou Dr. Cabeto, ressaltanto que os todos os dados epidemiológicos são avaliados dia a dia.

"Nós estamos passando um pouco de 14 dias do início da flexibilização. Era pra gente começar a ver se houvesse um aumento da demanda assistencial, mas nós não estamos assistindo [a isso]. Se tudo continuar como está, Fortaleza deve progredir na flexibilização".

De acordo com o secretário da Saúde, há outras regiões em condições similares à Fortaleza, no que diz respeito à queda nas taxas referentes à Covid-19, como Sertão Central e o Litoral Leste. 

A taxa de ocupação dos leitos de UTI no Ceará está 77,53%, enquanto que a taxa de ocupação nas enfermarias chega a 58,34%, conforme dados da plataforma IntegraSUS, gerida pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), atualizados às 9h44 desta terça.

Cautela
Apesar da perspectiva positiva para a Capital, Dr.Cabeto ressalta que as regiões Norte e Sul do Estado ainda demandam cautela no processo de flexibilização e, consequentemente, de retomada da economia. "Nós acreditamos que tivemos uma grande melhora em todos os indicadores da pandemia, mas que é preciso mais prudência na região Norte e na região Sul para que não alcancem índices que nós não desejamos".

A cidade de Sobral, que fica na Região Norte, é uma das cidades onde os números avançam. Nesta segunda-feira (15), o município ultrapassou os 4 mil casos e, até o último boletim divulgado ontem pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), já somava 4.027 diagnósticos positivos de Covid-19 e 172 mortes em decorrência da doença. 

Diário do Nordeste