Famílias da reforma agrária em Santa Quitéria são atendidas com assistência técnica remota

Famílias da reforma agrária em Santa Quitéria são atendidas com assistência técnica remota

Em meio ao isolamento social, a Cooperativa Central das Áreas de Reforma Agrária do Ceará (CCA), orienta remotamente assentados a seguirem as orientações de autoridades em saúde pública e do Governo do Ceará. O grupo do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra realiza vendas por meio da Feira da Reforma Agrária e também mobiliza a juventude na criação de barreiras sanitárias com o objetivo de frear a propagação da pandemia da Covid-19 em comunidades rurais.

A parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário garante o atendimento de 1.050 famílias de 36 assentamentos em 17 municípios cearenses. Destas, 156 são em Santa Quitéria, onde os assentados se envolvem em cinco cadeias produtivas, principalmente, na produção de leite, apicultura e ovinocaprinocultura, sob acompanhamento de assistência técnica.

As ações remotas envolvem a utilização das mídias sociais e garantem orientações técnicas na produção de alimentos saudáveis para todos os cearenses.


“Os produtos do MST tem 100% de garantia porque são produtos sem o uso de agrotóxicos, ou qualquer químico que agrida o meio ambiente. Ao adquirir esses produtos, além de estimular a economia solidária, você contribui com a segurança alimentar e geração de ocupação e renda das famílias do campo”, argumenta João Filho, promotor do Ministério Público.

“A metodologia tem caráter socioeducativo e acontece dialogicamente, pela prática dos agricultores e a troca de saberes com os técnicos. Promovemos assim, geração e apropriação de conhecimentos, construção de processos de desenvolvimento sustentável e adoção e adaptação às tecnologias de informação e comunicação”, conclui Castro Júnior, coordenador de Desenvolvimento dos Assentamentos, Reassentamentos, Comunidades Originárias e Tradicionais (Codea/SDA).