Grupo hacker expõe dados pessoais de Bolsonaro, filhos e aliados do governo

Grupo hacker expõe dados pessoais de Bolsonaro, filhos e aliados do governo

O grupo de hackers Anonymous Brasil expôs, na noite de segunda-feira, 1º, dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro e de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos). Informações de ministros e aliados do Governo também foram compartilhadas. As informações foram publicadas no Twitter por meio de links para páginas com os documentos

Foram compartilhados os CPFs de Bolsonaro e de seus filhos, além de telefones, endereços e dados sobre imóveis e veículos da família do presidente. Parte dos dados, como as declarações de bens imobiliários, já era pública e estava disponível na plataforma de divulgação da Justiça Eleitoral destinada a informações sobre patrimônios de candidatos. Os números de telefone, no entanto, eram dados privados. Outros alvos foram os ministros Abraham Weintraub (Educação) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Na manhã desta terça-feira, 2, Carlos Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro se manifestaram sobre o ocorrido. O vereador garantiu que "medidas legais estão em andamento". "A turma "pró-democracia" vazou meus dados pessoais e de outros na internet. Após vermos violações do direito à livre expressão, agora ferem a privacidade. Sob a desculpa de "combater o mal", justificam seus crimes e fazem justamente aquilo que nos acusam, mas nunca provam!", disse.

Enquanto isso, o deputado Eduardo Bolsonaro, sem citar o vazamento dos dados diretamente, fez menção a "atos criminosos, notoriamente arquitetados e financiados". "Mesmo que não digam se tratar de um gabinete do ódio vamos tomar todas as medidas possíveis para coibi-los", afirmou.

Eduardo disse ainda que ontem representou com o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) e outros parlamentares que tiveram dados pessoais divulgados na Procuradoria Geral da República (PGR). "Em breve mais novidades", sugeriu.

Douglas confirmou pelo Twitter a veracidade dos dados compartilhados pelo grupo hacker e informou que fará um boletim de ocorrência. "Para que colocar os meus familiares em risco? Para que divulgar o endereço de minha casa? Os lugares em que trabalhei?", escreveu. Além dele, o cofundador da Havan, Luciano Hang, também teve seus dados divulgados.
Poucos minutos após a publicação das informações, as postagens foram retiradas do ar. "Apagamos os documentos com as informações pessoais do Carlos Bolsonaro e do Jair, todos conseguiram salvar? O twitter é automático, esse tira do ar esse tipo de arquivo, por isso retiramos. Vocês podem compartilhar o link pela DM. Quem tiver comenta, quem quiser também", afirmou o perfil.

Na sequência, a conta Anonymous Brasil foi suspensa. Na página que levaria ao perfil do grupo, está o aviso: "O Twitter suspende as contas que violam as Regras do Twitter". Até o momento do fechamento desta matéria, o presidente Jair Bolsonaro ainda não havia se manifestado sobre o vazamento de dados.

O Povo Online