Metade dos brasileiros diz que tomaria cloroquina caso pegasse coronavírus

Metade dos brasileiros diz que tomaria cloroquina caso pegasse coronavírus

Uma pesquisa realizada com 2.226 brasileiros de todas as regiões apontou que pouco mais de metade da população tomaria a cloroquina e a hidroxicloroquina, caso pegasse o coronavírus e pudesse escolher o tratamento. Com margem de erro de 2%, o levantamento da Paraná Pesquisas apontou que 50,4% tomariam as substâncias, enquanto 44,7% não tomariam e outros 4,9% não souberam ou não opinaram.

No recorte por sexo, a opção de tomar cloroquina e hidroxicloroquina tem adesão de 53,1% dos homens (53,1%) e 47,9% das mulheres. A faixa etária em que há maior intenção de tomar as substâncias em caso de infecção é a de 35 a 44 anos, com 55,2%,  e, a menor, entre 16 e 24 anos, com 51%. A maior rejeição às substâncias, em termos absolutos, está na região Nordeste: 55,6% não tomariam.

A pesquisa foi realizada entre os dias 6 e 11 de junho, por telefone, com pessoas de 16 anos ou mais em 26 Estados e no Distrito Federal.