Ministério da Educação diz que Enem pode ser suspenso em 2021 por falta de dinheiro

Ministério da Educação diz que Enem pode ser suspenso em 2021 por falta de dinheiro

Em ofício enviado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirma que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021 pode ser suspenso por falta de dinheiro. O documento também alerta para o risco de fechamento de campi, cursos e até instituições inteiras por falta de recursos.

“Ressalta-se que, dentre os programas que correm risco de não serem continuados, encontra-se o consagrado Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, e soma-se a esse prejuízo o fechamento de cursos, campi e possivelmente instituições inteiras, comprometendo a educação superior e a educação profissional e tecnológica – EPT, mantidos com a política de Custeio de Universidades e Institutos”, diz o ministro no ofício, obtido pelo GLOBO.

Para a realização do Enem 2020, por exemplo, a pasta gastará R$ 537 milhões. Caso decidam alugar o dobro de salas para aumentar o distanciamento entre os candidatos por causa da Covid-19, o valor investido na prova pode chegar a casa de R$ 900 milhões.

“O atual montante de recursos consignados no referencial monetário para 2021 poderá prejudicar seriamente diversas políticas públicas, entre elas, as ligadas à educação básica, além de afetar gravemente com possibilidade de interrupção de políticas voltadas para educação superior e exames”, escreveu Weintraub, no documento assinado nesta quinta-feira.

Nota técnica anexada pelo ministro aponta que, caso sejam mantidos os valores até agora disponibilizados pelo ministério, “poderá prejudicar seriamente” diversas políticas públicas, dentre elas, as ligadas à educação básica. E cita como exemplo o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD); a Política Nacional de Alfabetização; repasses do FNDE para apoio às redes de ensino; o Programa de Inovação Educação Conectada; a conclusão de obras de creches e escolas; e programas de formação de professores.

O Globo