Papa defende educação e cultura para superar a crise

Papa defende educação e cultura para superar a crise

O Papa Francisco pediu hoje um reforço da educação e da cultura para a humanidade superar a crise gerada pelo coronavírus, que na sua opinião pode ser uma oportunidade de criar um futuro melhor. O Papa fez estas reflexões numa mensagem enviada aos participantes de um evento organizado pela Fundação Scholas Occurrentes, por ocasião do Dia Mundial do Meio Ambiente.

Francisco disse que as crises são necessárias à humanidade, porque sem elas estaria "enferma e adormecida". Destacou que os momentos de dificuldade podem significar ruptura e perigo, mas também oportunidade e abertura.

O papa sublinhou que Scholas é uma comunidade que educa e ajuda jovens e adultos de todo o mundo a promover a cultura do encontro e do diálogo e citou três imagens: o filme italiano de Fellini "A Estrada da Vida", o quadro de Caravaggio "A Vocação de São Mateus" e o romance de Dostoevski "O Idiota". Francisco fez estas evocações para destacar três conceitos - a gratidão, o sentido e a beleza, necessários para que a humanidade acredite num futuro melhor.

No encontro digital organizado por esta fundação participaram nove primeiras damas da América Latina e do Caribe, que leram diferentes passagens da encíclica papal "Laudato Si", sobre o cuidado com o meio ambiente: Fabiola Yáñez, da Argentina, Kim Simplis Barrow, do Belize, Michelle Bolsonaro, do Brasil, María Juliana Ruiz, da Colômbia, Claudia Dobles Camargo, da Costa Rica, Rocío González de Moreno, do Ecuador, Ana García de Hernández, das Honduras, Yazmín Colón de Cotizo, do Panamá, e Silvana Abdo, do Paraguai.

Scholas Occurrentes é uma Organização Internacional de Direito Pontifício presente em 190 países e que integra mais de 400.000 centros educativos.