Quem cometer fraudes no auxílio emergencial pode pegar até 13 anos de cadeia

Quem cometer fraudes no auxílio emergencial pode pegar até 13 anos de cadeia


O deputado Denis Bezerra, do PSB do Ceará, apresentou um projeto nesta terça-feira para aumentar a punição a quem fraudar dados para obter o auxílio emergencial.

A proposta endurece a pena dos crimes de estelionato e falsidade ideológica e propõe aumentá-la em um terço, passando a detenção máxima de cinco para seis anos e meio, em cada crime.

Apenas no Ceará, foram identificados 24,2 mil servidores públicos beneficiados com o auxílio emergencial, destinado somente a pessoas de baixa renda durante a pandemia.

Época