Sistema Penitenciário do Ceará confirma terceira morte por Covid-19

Sistema Penitenciário do Ceará confirma terceira morte por Covid-19

Três presos já morreram em decorrência da Covid-19 no Ceará. O terceiro óbito foi confirmado pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) nesta segunda-feira (1º).

A vítima era um interno de 77 anos, da Unidade Prisional Irmã Imelda Lima Pontes, na Grande Fortaleza. Por nota, a Pasta disse que o idoso apresentou sintomas gripais e foi hospitalizado no Hospital do Coração, na capital, no último dia 19 de maio.

“Ele permaneceu internado no Hospital do Coração até a última quarta-feira, dia 27, aonde faleceu. Durante esse período, o serviço social da SAP acompanhou o caso, informou o boletim médico e prestou a assistência necessária aos familiares do interno”, afirmou a Secretaria.

A primeira morte de preso devido à Covid-19 aconteceu no estado no fim do mês de abril e a segunda na semana passada. Conforme boletim epidemiológico da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), até o último dia 29 de maio, havia confirmação de 224 internos infectados.

Agentes
Centenas de agentes penitenciários também já foram infectados e, em determinado momento desde o início da pandemia, precisaram se ausentar das suas funções para tratamento médico.

A informação é que, pelo menos, 298 policiais penais testaram positivo. Destes, 223 agentes se recuperaram da doença e já retornaram ao serviço. No Ceará há um total de 3.607 agentes, sendo assim, os dados mostram que quase 6% deles têm ou tiveram Covid-19.

Ainda no mês de abril, agentes denunciaram ao G1 que o vírus começava a se disseminar entre as unidades prisionais. Os servidores reclamavam sobre a escassez de equipamentos individuais de proteção (EPIs) e alertaram para a dificuldade em combater a propagação da doença devido à superlotação nos equipamentos.

Mortes
A primeira morte de um detento com Covid-19 no Ceará foi a de um interno que estava detido na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL) II, em Itaitinga, na Grande Fortaleza. O preso chegou a ser hospitalizado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Horizonte durante uma semana.

A segunda morte confirmada foi a de uma mulher presa, com 48 anos de idade. Ela era presa oriunda do Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa (IPF), localizado em Aquiraz, e que atua com excedente carcerário de quase 200 pessoas. A mulher também chegou a ser hospitalizada.

G1