1 mês após promessa, quiterienses aguardam funcionamento da unidade de atendimento para Covid

1 mês após promessa, quiterienses aguardam funcionamento da unidade de atendimento para Covid


Passados três meses efervescentes da pandemia em território quiteriense, Santa Quitéria inicia o mês de julho com a expectativa para a instalação dos leitos da Covid-19, anunciados pelo governador Camilo Santana, ao mesmo tempo em que aguarda o início das atividades da unidade de atendimento do Município, prometida pela Prefeitura Municipal há pouco mais de um mês.

O prédio vizinho ao Hospital Municipal, pertencente à família Parente, foi alugado pelo Município no objetivo de atender exclusivamente aos pacientes da doença e assim, liberar a outra unidade para todos os outros procedimentos, sem risco de contágio. Quando divulgado pelo prefeito Tomás Figueiredo, foi anunciada uma reforma que, até o momento, não se sabe se já teve início.

No mês de junho, os casos de coronavírus apresentaram sinais de estabilização em Santa Quitéria, havendo uma curva maior de recuperados do que em si de infectados. O número daqueles que estão com o vírus ativo, incluindo os internados, tem caído a cada dia. Isso, porém, não pode ser tratado como relaxamento das medidas de proteção, cabendo a necessidade do sistema de saúde estar preparado para qualquer que seja a urgência e salvar vidas.

Dentro de oito dias, duas licitações serão realizadas pela Prefeitura, segundo o TCE, que ligam diretamente a este assunto: a aquisição de materiais médico-hospitalar e permanentes e uma nova reforma do Hospital Municipal. Segundo fontes ao A Voz de Santa Quitéria, os equipamentos deste novo espaço estão nessa leva de aquisição e a adaptação das atuais instalações do Hospital, fundamental e necessária para a instalação dos respiradores.

Assessores do Governo do Estado confirmaram ao site que a logística já está sendo ajustada para que, o mais breve possível, cheguem ao Município, o que sem dúvidas, também fará a Prefeitura apressar os passos para o novo prédio. A Voz de Santa Quitéria procurou a Secretaria de Saúde, em busca de informações sobre este assunto, mas até o fechamento desta matéria, não retornou o contato.