Ceará decreta estado de emergência ambiental devido a incêndios pela primeira vez

Ceará decreta estado de emergência ambiental devido a incêndios pela primeira vez


O governador Camilo Santana decretou estado de emergência ambiental no Ceará devido ao maior risco de incêndios florestais e queimadas no segundo semestre do ano. A medida está publicada no Diário Oficial e fica válida até janeiro de 2021.

Esta é a primeira vez na histórica que o Ceará decreta estado de emergência ambiental para combate aos incêndios florestais. Geralmente, a medida ocorre para outras adversidades, como escassez hídrica ou inundações.

Com a decisão, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) pode contratar brigadistas ambientais para atuação nas 28 unidades de conservação estaduais. As previsões de períodos mais críticos se dão, normalmente, através de portarias do Ministério do Meio Ambiente (MMA) ou decretos federais.

Em julho de 2020, o Ceará já registrou 43 focos de incêndio, número superior ao observado na média histórica para o período (que é de 40 focos). Em todo o ano, já foram 162 registros, segundo o Mapa de Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Neste mês, o dia 19 apresentou o maior número de focos captados pelos satélites do Inpe - foram 11, ao todo. A partir deste mês, a tendência é haver um aumento nos registros.