Ceará tem 11% dos casos de coronavírus entre padres infectados no Brasil

Ceará tem 11% dos casos de coronavírus entre padres infectados no Brasil


A Igreja Católica também foi um dos setores afetados pela pandemia do coronavírus. No Ceará, além da suspensão de atividades presenciais, como missas e celebrações, 41 padres tiveram Covid-19, segundo estatísticas do Conselho Nacional de Presbíteros (CNP), contabilizadas até 19 de julho e divulgadas nesta semana.

Ao todo, 37 padres receberam diagnóstico positivo e quatro faleceram em decorrência da doença. O número representa 11% dos 368 padres infectados pela doença em todo o Brasil.

Somente em Fortaleza, estão concentradas 21 ocorrências e três mortes, segundo o CNP. Contudo, dados mais atualizados da Arquidiocese de Fortaleza, de abril a 29 de julho, contabilizaram cinco óbitos de sacerdotes causados pela Covid-19. Durante o mesmo período, outras cinco mortes foram ocasionadas por enfermidades distintas, como insuficiência cardíaca ou renal, e câncer.

Ao todo, oito cidades cearenses apresentaram padres confirmados com o novo coronavírus. No interior, Sobral é o município com a maior quantidade de padres contaminados, com seis casos. O relatório do Conselho também apresenta Crato e Iguatu, ambos com quatro ocorrências, e Limoeiro do Norte, com duas. As cidades de Tianguá, Quixadá, Itapipoca contabilizam um caso, cada uma.

G1