Eunício confessa ter caído em arapuca, fala em arrependimento e anuncia candidatura majoritária em 2022

Eunício confessa ter caído em arapuca, fala em arrependimento e anuncia candidatura majoritária em 2022


O presidente da Executiva Regional do MDB, ex-senador Eunício Oliveira, fez, nesta quarta-feira, pela primeira vez, um desabafo sobre o cenário das eleições de 2018, quando concorreu à reeleição em uma aliança com o PDT, disse não sentir mágoa do resultado adverso, mas admitiu arrependimento porque, mesmo com a experiencia política, caiu em uma arapuca e acabou sendo traído.

Em entrevista ao jornal Alerta Geral, Eunício antecipou que concorrerá, em 2022, a um mandato majoritário (senador ou governador) contra os que o traíram. Ele lamentou a postura dos que o traíram, mas enalteceu a postura e a correção do governador Camilo Santana que o apoiou ao longo da campanha pela reeleição.

“Eu não carrego mágoa. Sou um ser humano que não carrega mágoa. Carrego agradecimento ao povo do Ceará porque, nessas eleições passadas, lamentavelmente, pela experiência política, pela vivência política, eu não poderia ter ser atraído para uma arapuca”, desabafa Eunício, para, em seguida acrescentar.

“Eu fui atraído para uma arapuca…eu fui atraído para uma arapuca pelo senhor que foi candidato a presidente da República (eu não quero citar o nome dele aqui). E depois fui traído de forma grosseira, de uma forma vergonhosa pelo seu Ciro Gomes e pelos seus comandados”, disse Eunício, ao citar, ainda, pressões do comando da Assembleia Legislativa e da Prefeitura de Fortaleza que usou a máquina para derrotá-lo. Eunício não citou nomes, mas, à época, quem comandava a Assembleia era o deputado José Albuquerque (PDT).

Sobre o futuro, Eunício Oliveira é taxativo: “Desejo disputar um mandato majoritário com aqueles que fizeram a traição para se beneficiar dela (traição)”. Eunício reafirmou que não tem mágoa, mas agradecimento pelos votos que recebeu. “Eu não tenho mágoa. Tenho arrependimento de ter sido atraído por algo que eu jamais imaginei que pudesse acontecer na história política de um País, imagine do Estado do Ceará. Eu não carrego mágoa, carrego agradecimento das pessoas que votaram em mim”.

Ceará Agora